Alexsom

Alexsom

GLASTONBURY 2017

CALENDAR JAZZ

MONTREUX ACADEMY 2017

Colour Me Free! - Joss Stone

Amy Winehouse Foundation

PLAYING FOR CHANGE

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Especial | O Mundo da Música Eletrônica - Parte III A história de dois outros pilares da cena eletrônica: drum and bass e trance


Danilo Monteiro e Thiago Romariz
06 de Novembro de 2012

the-prodigy
The Prodigy
gerald-simpson
Gerald Simpson
goldie
Goldie
dj-marky
DJ Marky
klaus-schulze
Klaus Schulze
dance-2-trance
Dance 2 Trance
armin-van-buuren
Armin van Buuren
tiesto
Tiesto
Após um breve histórico da música eletrônica, trouxemos o início da house music e do techno. Agora, dissecamos a trajetória dos outros dois maiores estilos da e-music, mostrando a variedade de ritmos e público que ela pode atingir. Não a toa é o estilo musical que mais cresce no planeta.

Drum and Bass, a junção da bateria com o baixo

A disseminação da house music criou gêneros e subgêneros que até hoje perduram nas pistas. Duas destas crias - o jungle e o UK garage - deram origem a um dos estilos mais populares da atualidade, o drum and bass. A cena rave britânica foi o local que gerou o ponta pé inicial para este gênero se desenvolver. Bandas como The Prodigy, Altern8 e Gerald Simpson foram aglumas das responsáveis pela popularização dele ao redor do mundo.
A aceleração das faixas e a velocidade com que as músicas são mixadas é a principal característica do "DnB". O ritmo dos sons gira em torno de 170 batidas por minuto (BPM). Para efeito de comparação, a house music fica entre 128 e 130. Como o nome já diz, a principal caracteristica é a união da bateria e do baixo, mesclados a outros tipos musicais.
A chegada do drum and bass ao Reino Unido vinha seguida de uma filosofia de vida ligada a cultura hip hop e ao grafite. O novo som atraía os jovens que entravam na onda urbana, principalmente os que curtiam baladas techno. Deste cenário saiu o inglês Goldie, autor de uma faixa que marcou a época,"Terminator" - uma clara transformação do ritmo hardcore para o DnB. As influências jamaicanas que Goldie aplicava em suas faixas vêm do jungle e também da convivência com grandes produtores como ClaDennis 'Dego' McFarlane Mark 'Marc Mac' Clair. Outros DJs também foram importantes na popularização do gênero, como Rebel MC, Ragga Twins, Dextrous e LTJ Bukem - todos considerados estrelas de primeira grandeza do drum and bass.
Na década de 90, o estilo ganhou o mundo e teve no Brasil um de seus principais locais de expansão. Os DJs brasileiros começaram a ganhar notoriedade quando misturaram MPB e bossa nova às mixagens de DnB. Assim fizeram DJ PatifeDJ Marky, um dos principais nomes da cena eletrônica.

Música em transe

No início da década de 1990, um novo estilo da dance music surgia com muita força no cenário europeu. Apesar de ser derivado da techno e da house music, as características eram completamente diferentes, o que o fazia único. O trance aparecia nas pistas apresentando faixas com melodias feitas pelos sintetizadores, mas com uma pegada mais progressiva, usando poucas ou nenhuma forma de vocal.

O novo gênero musical, que nasceu na Alemanha, tinha em sua composição sons industriais, com uma sonoridade menos melódica, ritmo acelerado e batidas pesadas. Essas batidas repetitivas levam o ouvinte a um estado de transe, uma espécie de libertação espirituosa. Por isso, muito se fala da ligação do trance a raízes religiosas, como é o caso do shamanismo e do hinduísmo. Mesmo que tenha surgido no início dos anos 90, a palavra trance já vinha sendo empregada em muitos trabalhos desde a década de 70. Porém, o termo não era usado para dar nome à um gênero musical, mas sim à forma como as músicas atingiam as pessoas.
A popularização do trance trazia consigo uma exposição do uso de drogas e entorpecentes nas festas. A polícia britânica e o parlamento nacional agiram contra os eventos que propagavam músicas deste estilo. No entanto, os organizadores e DJs do gênero atuavam cada vez mais no meio undergound e promoviam as festas por meio do "boca a boca". Não era raro acontecer encontros afastados das cidades, em campos e florestas - assim, um certo ar de Woodstock eletrônico se instalava em boa parte das festas.
Um dos grandes pioneiros desta nova cena trance foi Klaus Schulze, baterista das primeiras formações do Tangerine Dream. O alemão foi importante ao usar os termos da vertente em projetos antigos, como Trancefer (1981) e En=Trance (1987). Suas músicas tinham elementos industriais e efeitos sonoros hipnóticos, que levavam os ouvintes à euforia ou ao estado espiritual de transe. Schulze também usava algumas composições presentes no Techno, aplicando característica da música alemã daquela época.
Em meados da década de 90, Frankfurt era considerado o local mais importante do gênero, graças a artistas como DJ Dag, Oliver Lieb, Sven Väth e Torsten Stenzel. A dupla formada por Dag e Rolf Ellmer, que usavam a alcunha de Dance 2 Trance, produziu a música “We Come in Peace”, considerada a pioneira do estilo. Alguns deles ainda fazem sucesso, mesmo na cena underground, como é o caso de Lieb e Väth.
Um pouco mais distante da Alemanha e do Reino Unido, outro local apareceria como importante símbolo do trance e da música psicodélica. Um dos lugares mais espirituais do mundo, a Índia, tinha a onda dos hippies concentrada no estado de Goa. No local, se misturavam elementos da música eletrônica com sons orientais, ritmos tribais e mantras indianos com o objetivo de compôr hinos que valorizassem a natureza. Aquele som iria ganhar popularidade não só naquele país, pois mais tarde chegaria à Europa. Assim nascia o trance psicodélico, hoje conhecido como o psytrance.
O pioneiro deste estilo foi Gilbert Levey, mais conhecido como Goa Gil. Levey, ao contrário do que se pensa, não era indiano, mas sim um americano da Califórnia, nascido em São Francisco. Aos 18 anos, após se juntar ao movimento hippie, deixou os EUA para ir ao encontro do espiritualismo e a Índia o acolheu.
O trance continua sendo um estilo muito popular no mundo todo. No Top 100 da DJMag, uma das revistas mais conceituadas do mundo no ramo, o artista que chegou ao topo mais vezes é um representante do gênero, o holandês Armin van Buuren. O DJ conquistou o primeiro lugar da lista cinco vezes. Outros grandes nomes também se destacaram no gênero como Tiesto (que hoje é da turma do electro house), Paul van Dyk, Protoculture, entre outros.
Drum and Bass
The Prodigy - "The Beat"
Goldie - "Timeless"
DJ Marky - "Carolina Carol Bela" (Jorge Ben e Toquinho)
Trance
Dance 2 Trance - "Power of American Natives"
Armin van Buuren - "In and Out of Love"
Tiesto - "Maximal Crazy"
Fonte:Omelete

0 comentários: