Festivais de Verão 2018

Festivais de Verão 2018

Alexsom

Alexsom

LOLLAPALOOZA BRASIL 2018

Coachella 2018

CALENDAR JAZZ

MONTREUX ACADEMY 2017

Colour Me Free! - Joss Stone

Amy Winehouse Foundation

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Dave Matthews diz ser grato ao Brasil e pede Teatro Mágico no palco

O cantor Dave Matthews durante entrevista coletiva
 (Foto: Henrique Porto/G1)
Dois anos depois de se apresentar pela última vez na cidade, o cantor e compostior sul-africano Dave Matthews, líder da Dave Matthews Band, está de volta ao Rio de Janeiro. Desta vez, como o próprio músico explicou em entrevista a jornalistas realizada na manhã desta quinta-feira (7), com um sentimento de gratidão.


"Estamos lançando um CD duplo, ao vivo, com um show gravado na cidade em outubro do ano passado. Escolhemos o Rio pois foi aqui que fiz apresentações das quais jamais me esquecerei.

 Foi especial por uma série de motivos: pela emoção, pelo público. Fizemos isso como uma forma de agradecimento", declarou um simpático Dave que, muito bem humorado, seguiu elogiando a vibração dos brasileiros.

"É como se o público brasileiro nos ouvissse de uma maneira diferente de outros lugares. E isso os torna especiais. É incomum tocar aqui. É bom sentir essa responsabilidade longe de casa. É único", derreteu-se o Dave, que também mostrou conhecer música brasileira ao citar nomes como Caetano Veloso, Gilberto Gil e Seu Jorge como alguns de seus artistas preferidos.

'Fazem acrobacias?'

A Dave Matthews Band se apresenta na noite desta sexta-feira (8) na HSBC Arena, no Rio, em show que terá o grupo Teatro Mágico como banda no Rio.

"Parece que são palhaços. Fazem acrobacias? Dançam? Cantam? Vão comer fogo? Porque, se for assim, estamos perdidos. Ninguém na minha banda faz essas coisas. Acho que vou convidá-los para subir ao palco enquanto tocamos. Vão deixar nosso show mais interessante.

Talvez possam até me ensinar", brincou.

Sobre o possível repertório do show, ele faz suspense e diz que não consegue pensar nas canções que canções vai tocar com muita antecedência. "Anoto os nomes das músicas num papel faltando mais ou menos uma hora para subir ao palco. Depois, mostro para o meu baterista até que ele me dê um 'OK'.

Em seguida, é a vez dos outros músicos me dizerem o que acham. Deixo o repertório um pouco livre, mas nem tanto", destacou.

Morte de LeRoi Moore

Em um momento mais sério, Dave lembrou a morte do saxofonista e um dos fundadores da banda LeRoi Moore, em agosto de 2008, dois meses antes do grupo de apresentar por aqui com os shows que deram origem ao novo álbum - o músico não resistiu a um acidente de quadriciclo ocorrido um mês antes.

"Quando tocamos aqui pela última vez, LeRoi tinha acabado de morrer. Não estávamos com uma energia muito boa, mas os brasileiros mostraram muito respeito a ele e a nós. Ele gostava muito de tocar no Brasil. Sempre estará conosco", declarou Dave, que segue para São Paulo no fim de semana, onde será uma das atrações do Festival  SWU, em Itu, interior do estado.

Dave também revelou que vai dissolver o grupo pelo próximo ano para poder descansar e "pensar em novas ideias".

0 comentários: