Alexsom

Alexsom

GLASTONBURY 2017

CALENDAR JAZZ

MONTREUX ACADEMY 2017

Colour Me Free! - Joss Stone

Amy Winehouse Foundation

PLAYING FOR CHANGE

sexta-feira, 14 de maio de 2010

veja lançamentos

'NIGHT TRAIN'
KEANE
UNIVERSAL


Keane - "Night Train" (Foto: Reprodução)
O Keane, apesar de não ter o sucesso comercial de um Coldplay ou mesmo de um The Killers, é uma banda que não merece ficar em segundo plano. A cada disco, o grupo consegue produzir um número de três a quatro ótimas músicas – senão, hits. “Perfect symmetry”, de 2008, é um exemplo. Longe das baladas melancólicas dos primeiros dois CDs, a banda surpreendeu ao usar sintetizadores e bateria eletrônica. E foi algo positivo.

Em “Nigh train”, que traz uma mudança ainda maior, acontece logo o oposto. Ao longo de oito músicas, o grupo soa sem identidade, como nas parcerias com o rapper K’Naan (“Stop for a minute” e “Looking back”) e a cantora japonesa Tigarah (“You've got to help yourself). Em certo momento há até um trecho de “Eye of the Tiger”. Tamanha globalização pode ser explicada devido as gravações terem sido feitas durante a turnê mundial de “Perfect symmetry”. E o grupo ainda consegue se safar com a desculpa de 'Night train" ser um EP, ou seja, não pode ser considerado um novo álbum de fato. (GUSTAVO MILLER)


'RISE UP'
CYPRESS HILL
EMI
Cypress Hill - "Rise up" (Foto: Reprodução)
Seis anos depois do último disco de estúdio, “Till death do us apart”, o Cypress Hill volta a um cenário diferente com “Rise up”. O novo álbum, primeiro do grupo depois de contratados pelo selo do rapper Snoop Dogg, chega em um momento em que os EUA pegam leve com a maconha (droga favorita do Cypress Hill, tema de diversas músicas ao longo da carreira) mas pesado com os imigrantes latinos –de ascendência cubano-mexicana, os rappers chegaram a cancelar shows no Arizona após uma controversa nova lei local contra imigrantes ilegais.

O grupo se mostra bem atualizado com os dois temas, seja com novos hinos ao consumo de marijuana, como “Light it up” e “K.U.S.H.”, seja levantando a cabeça contra as novas opressões com a agressiva “Shut’em down” (ao lado de Tom Morello, guitarrista do Rage Against The Machine) e afirmando a latinidade com a ensolarada “Armada Latina” (com sample de Crosby, Stills Nash & Young). Com tantas faixas divertidas, dá até para perdoar a xarope “Carry me away”, com Mike Shinoda, do Linkin Park. (AMAURI STAMBOROSKI JR.)
Fonte:G1

0 comentários: